Base aliada não garante apoio a Temer para barrar denúncia

Enquetes realizadas com os 513 deputados federais mostram que apenas entre 44 e 45 parlamentares falam abertamente em salvar a pele do peemedebista

Disposto a acelerar a tramitação da análise da denúncia apresentada pela Procuradoria Geral da República (PGR) para enterrar a peça com a ajuda da base aliada, o presidente da República, Michel Temer (PMDB), não conta hoje explicitamente com o apoio necessário para barrar a acusação por corrupção passiva feita ao Supremo Tribunal Federal (STF). Enquetes realizadas nos últimos dias com os 513 deputados federais e divulgadas pelos jornais “O Globo” e “Folha de S.Paulo” mostram que apenas entre 44 e 45 parlamentares falam abertamente em salvar a pele do peemedebista.

No placar atualizado pelo jornal paulista, já são 130 os deputados que se apresentam como favoráveis ao prosseguimento da denúncia contra o presidente. Para que isso ocorra, são necessários 342 votos no plenário da Câmara. Já os que se mostram contrários à acusação, ou seja, que defendem a tese do Palácio do Planalto, somam 45 votos. Se todos os 513 deputados votarem, serão necessários 172 votos para que Temer enterre a denúncia antes mesmo da análise pelo plenário do Supremo Tribunal Federal (STF).

 A maioria dos parlamentares, porém, continua escondendo os votos que darão no plenário da Câmara. Os que se dizem indecisos são 112 deputados. Somam-se a esses 67 parlamentares que já avisaram que não irão se pronunciar sobre seus posicionamentos, por enquanto, e outros 168 que, mesmo procurados, ainda não haviam respondido à enquete da “Folha de S.Paulo”. Já o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, informou por meio da assessoria, que não irá votar.

Por meio de sua assessoria, Maia disse que se baseia no artigo 17, parágrafo 1º do regimento interno da Casa. Nele, afirma-se que cabe ao ocupante do cargo votar em escrutínios secretos ou para desempatar votações abertas – a possibilidade não existe neste caso.

Na prática, isso representa um voto a favor de Temer, já que o processo só é aberto com o voto de dois terços da Casa. Qualquer ausência ou abstenção conta para a estratégia do presidente, que quer escapar da investigação pela via política.

Na enquete feita pelo jornal “O Globo”, os números são semelhantes. Os que prometem abertamente defender o presidente são 44 deputados. Já os que pretendem votar a favor do prosseguimento da acusação somam 121 votos até agora. Na enquete do jornal carioca, 74 deputados se disseram ainda indecisos, enquanto 274 decidiram não responder aos questionamentos colocados pela publicação.

Nas duas enquetes, o partido do presidente, o PMDB, é o que mais engrossa a defesa pela rejeição da denúncia, com 18 parlamentares. PSDB e PP também figuram entre os maiores apoiadores nos dois levantamentos.

Antes de ir ao plenário, a denúncia contra o presidente Michel Temer ainda tem que passar pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), que produzirá um parecer pela autorização ou pela rejeição da peça acusatória. Mas este parecer não é conclusivo, apenas consultivo e o tema – abertura ou não do processo – terá que ser obrigatoriamente analisado pelo plenário da Câmara.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *