Geddel chega a Brasília e deve ser levado para a Papuda

O ex-ministro estava em regime domiciliar em apartamento em Salvador

O ex-ministro Geddel Vieira Lima (PMDB-BA) chegou às 16h desta sexta-feira (8) a Brasília em voo que partiu de Salvador, onde foi preso preventivamente por suspeita de lavagem de dinheiro, a mando do juiz federal Vallisney de Oliveira, da 10ª Vara do Distrito Federal.

Vestindo roupas brancas e segurando uma mala, o peemedebista desembarcou da aeronave e caminhou rumo a um dos hangares do aeroporto da capital federal. O ex-ministro agora será levado ao Instituto Medico Legal (IML) para exames de praxe e, posteriormente, vai para o complexo penitenciário da Papuda, nos arredores de Brasília.

Geddel chega a Brasília e deve ser levado para a Papuda.

O ex-ministro estava em regime domiciliar após decisão do Tribunal Regional Federal da 1ª Região. Após Operação Tesouro Perdido, da Polícia Federal, que culminou com a maior apreensão em dinheiro vivo da história brasileira, no valor de R$ 51 milhões, o magistrado de Brasília mandou Geddel de volta para a cadeia.

O ex-ministro Geddel Vieira Lima foi detido por equipes da Polícia Federal em sua casa, no bairro do Chame-Chame, em Salvador. Os policiais chegaram ao imóvel por volta de 5h30 e saíram de lá às 7h. Geddel foi levado no banco de trás do carro e, mesmo com os vidros fechados, tentou cobrir o rosto.

O delegado da PF Marlon Cajado, responsável pelas investigações da Operação Cui Bono, foi quem pediu a prisão preventiva do ex-ministro, que já cumpria prisão domiciliar. Alguns moradores da Rua Plínio Moscoso, onde fica o Condomínio Pedra do Valle, nº 64, acompanharam a saída da PF.

O vendedor ambulante Marcos de Jesus Santos, 36 anos, que estava na rua no momento da chegada dos policiais foi levado para dentro do prédio para servir de testemunha. Marcos foi uma das duas pessoas escolhidas de forma aleatória pela PF e levadas como testemunhas do cumprimento dos mandados de prisão, busca e apreensão dos federais no 9º andar do edifício de luxo Pedra do Valle, na Rua Plínio Moscoso, onde Geddel cumpria prisão domiciliar. A outra testemunha foi um porteiro do prédio que não teve o nome revelado.

A nova prisão de Geddel faz parte da quarta fase da Operação Cui Bono. Além do ex-ministro, há um mandado de prisão contra Gustavo Ferraz, que é acusado de envolvimento com o político. Há também outros três mandados de busca e apreensão a serem cumpridos.

Geddel foi preso em seu apartamento em Salvador.

Malas de dinheiro
Na última terça-feira (5), a PF flagrou mais de dez caixas e malas com R$ 51 milhões dinheiro em espécie em um imóvel que seria usado pelo ex-ministro para esconder as notas no bairro da Graça. A PF precisou de 14 horas para contar o dinheiro em sete máquinas bancárias para fazer a contagem. Toda a quantia foi depositada em contas judiciais.

A PF possui quatro provas que reforçariam a ligação de Geddel com o dinheiro. A perícia encontrou impressões digitais dele nas malas e caixas onde estavam estocadas as cédulas no apartamento.Malas de dinheiro
Na última terça-feira (5), a PF flagrou mais de dez caixas e malas com R$ 51 milhões dinheiro em espécie em um imóvel que seria usado pelo ex-ministro para esconder as notas no bairro da Graça. A PF precisou de 14 horas para contar o dinheiro em sete máquinas bancárias para fazer a contagem. Toda a quantia foi depositada em contas judiciais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *