Veja os serviços que devem parar na Bahia com a greve geral de Sexta-Feira

A greve geral nacional, programada para ocorrer na próxima sexta-feira (30), deve mobilizar trabalhadores de vários setores na Bahia. De acordo com a Central Única dos Trabalhadores (CUT-BA), as principais categorias já confirmaram a participação na paralisação. Confira a lista divulgada pela CUT:
Servidores públicos
Servidores federais, municipais e estaduais já confirmaram a adesão à greve.
Bancários
O sindicato dos bancários também confirmou a participação na greve geral.
Previdenciários
Funcionários do INSS também aderiram à paralisação.
Rodoviários
A reportagem do BNews entrou em contato com o Sindicado dos Rodoviários da Bahia que informou que a categoria deve ser reunir com a diretoria nesta quinta-feira (29) para decidir se aderem à paralisação. Vale lembrar que na última greve geral realizada no dia 28 de abril, os rodoviários paralisaram as atividades por 24h.
Policiais Civis
Os policiais civis da Bahia irão participar das manifestações da greve geral. A informação foi divulgada pelo sindicado da categoria.
Correios
Os trabalhadores dos Correios também foram convocados para participar da greve.
Professores
Conforme a CUT, os professores também confirmaram apoio à paralisação.
Vigilantes
A CUT também confirmou a participação do Sindicato dos Vigilantes.
Saúde
A assessoria de comunicação do Sindsaúde confirmou a participação da categoria.
Comerciários
O Sindicato dos Comerciários de Salvador também vai participar do movimento.
O Sindicato dos Trabalhadores em Empresas Ferroviárias na BAHIA (Sindiferro), Sindicatos dos Trabalhadores nas Empresas de Refeições Coletivas e Afins no Estado da Bahia (Sintercoba), Sindicato dos Profissionais em Pesquisa, Sindicatos da Agricultura Familiar e Sindalimentação também  confirmaram participação no ato.
Ainda conforme a CUT, haverá manifestações do movimento às 6h30 na região do Iguatemi e às 14h no Campo Grande .
Os protestos serão direcionados contra às reformas da Previdência e trabalhista, propostas pelo presidente Michel Temer.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *